Orçamento 2019 prevê investimentos acima de R$ 4 milhões em Colinas

O prefeito de Colinas, Sandro Ranieri Herrmann sancionou, no último dia 23 de novembro, a Lei nº 1.842/2018, que trata do Orçamento para o exercício de 2019. A provação ocorreu pós ser analisado e discutido em uma audiência pública e aprovado, por unanimidade dos vereadores, no Legislativo.

 

“Apesar do ambiente recessivo que o Brasil ainda vive e o contexto de dificuldades econômicas que atinge os municípios, de uma forma geral nós conseguimos elaborar uma proposta de orçamento para o ano que vem, refletindo um sentimento de otimismo, tanto em termos de crescimento do valor global quanto às perspectivas de investimentos”, afirma Herrmann.

 

Comparando os números, tem-se que o orçamento de 2018 é de R$ 16,4 milhões e a projeção para 2019 chega a R$ 19,6 milhões, com um crescimento de 19,51%. Justificando essa evolução positiva, o chefe do Poder Executivo argumenta que “o município credenciou-se a um Programa Especial, que é uma linha de financiamento do Ministério das Cidades para investimentos em obras de infraestrutura urbana e esse nosso crédito pode aproximar-se de R$ 3 milhões. Temos uma grande expectativa de que esse recurso vai ser disponibilizado nesse próximo ano para realizarmos pavimentações de várias ruas na nossa área urbana”, almeja.

 

Sobre a estimativa de investimentos de mais de R$ 4 milhões em 2019, Herrmann comemora a projeção, visto que nos últimos anos dificilmente algum município tem conseguido ultrapassar a casa dos 10% pela reduzida capacidade financeira de realizar obras. “Se de fato nós alcançarmos o índice estimado estaremos ultrapassando uma marca histórica, de 22% do orçamento sendo aplicados na realização de obras públicas em benefício dos moradores colinenses”.

 

Ainda sobre o orçamento, o prefeito destaca a importância das atividades econômicas do setor da produção primária, as quais se mantêm em constante evolução a partir de uma série de incentivos concedidos pelo Poder Público. “Continuamos tendo crescimento do Valor Adicionado Fiscal no setor primário, mas temos que buscar o desenvolvimento dos outros setores econômicos para fortalecermos a nossa renda própria. Seguiremos na busca de recursos extras e de emendas parlamentares, em Brasília, pois há vários projetos em tramitação e é uma meta nossa obtermos a sua concretização”, deseja.

 

Portais:

                                                         webmail