Produtores de Colinas postam no uso de calcário nas lavouras

 

A degradação natural das lavouras de produção com perdas de fertilidade, superpastoreio das pastagens e cultivos em sequência em uma mesma área durante um determinado período leva à acidez do solo e limitando a produção agrícola.

No município de Colinas, as propriedades rurais possuem em média 11 hectares, apresentando uma área agricultável reduzida, obrigando o agricultor aproveitar ao máximo para os cultivos anuais, que vai do plantio do milho silagem, safra e safrinha durante um ano agrícola. O pousio não é possível e os cultivos com outras culturas na forma de rotação de culturas são reduzidos.

Porém, os agricultores utilizam a calagem para corrigir a acidez do solo e a fertilização para a melhoria da fertilidade do solo e aumento da produção de forragens, no caso a produção de silagem de milho, cultivo do milho para grão, soja e trigo. Esse processo, por meio da amostra de solo, tem como objetivo diminuir a acidez, elevando o pH do solo, e fornecer cálcio e magnésio para as plantas. Conforme a equipe responsável pelo trabalho, a correção da acidez do solo é importante porque é quando os nutrientes se tornam disponíveis para as plantas absorverem.

Os agricultores Elias Muller, da Linha Leopoldina; e Roberto Rohsig, da Linha Ano Bom, aplicaram o calcário nas lavouras na primeira quinzena de maio, antes das chuvas ocorridas durante essa semana. Sempre que possível, Muller faz uso do calcário em suas lavouras, pois fica satisfeito com os resultados obtidos com a calagem, consegue visualizar a lavoura com a plantação bem mais verde, desenvolvimento vegetativo mais acelerado e mais vigor nas plantas.

Rohsig e seu filho Vitor aplicam dejetos suínos nas lavouras, então compensa o solo com o uso de calcário para equilibrar o pH e os nutrientes no solo e facilitar que a planta possa absorver melhor os nutrientes.

Nas áreas preparadas com a calagem, Muller irá semear o trigo de duplo propósito para pastejo das vacas leiteiras. Já a família Rohsig preparou a área para semear a aveia preta, alimento para as vacas leiteiras e o que não for totalmente pastejado fica de palhada no solo.

Como o calcário é um insumo barato, é uma das maneiras de economizar com adubações e obter altas respostas em termos de produtividade da plantação. A acidez no solo é um indicador de carência de nutrientes. A acidez vem através da exportação de nutrientes pelas raízes das plantas, a lixiviação de nutrientes pelas chuvas e a erosão do solo.

Esse trabalho é uma parceria com a prefeitura de Colinas, através da secretaria da Agricultura, juntamente com a Emater-RS/Ascar. A extensionista da Emater, Lídia Dhein, ressalta a importância que é a preservação dos solos com a correção da acidez, pois sem a existência de um solo produtivo, a vida na superfície da terra seria impossível. Já a secretária da Agricultura, Raquel A. Klein Diehl afirma que o uso sustentável do solo vai gerar mais lucros na propriedade, pois a agricultura é a base econômica do município.

Foto: Divulgação

Portais:

                                                         webmail