Aedes aegypti: Terrenos baldios de Colinas são monitorados

Com o objetivo de auxiliar no controle vetores (mosquitos, ratos e outros animais ou insetos), a Secretaria Municipal da Saúde, através do Setor de Vigilância Sanitária, realiza, durante este mês, o monitoramento da situação dos terrenos baldios localizados em área urbana. As primeiras visitas já ocorreram e vizinhos dos locais aproveitaram para se queixar de mosquitos e demais animais que se proliferam nestes terrenos. 

Conforme a responsável pelo setor, Ana Paula Jasper, os fiscais da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde encontraram larvas de Aedes aegypti em uma lona jogada dentro de um desses locais no centro do município contendo um pequeno acúmulo de água. “Colinas é um município infestado por Aedes. Precisamos nos mobilizar para eliminar os criadouros. Esta é apenas uma das ações que estamos programando para conscientizar e prevenir que mais focos do mosquito sejam encontrados”, orienta. Segundo ela, uma forma de prevenção é evitar o descarte de lixo, detritos e materiais de construção nesses espaços. “Manter os terrenos limpos é fundamental. Não deixar a grama alta e nem o matagal tomar conta. Isso evita que o mosquito transforme o espaço em abrigo”, aconselha.

 

Todos os proprietários de terrenos baldios receberão uma notificação anexada ao carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) que visa orientar sobre a limpeza do mesmo. Esse documento estará fundamentado e embasado na Lei Municipal nº 324-02/989, que reitera que a manutenção dos terrenos é obrigação do proprietário. Após os comunicados, os proprietários terão prazo de 30 dias para cumprimento do pedido, sendo prorrogáveis por mais 30, mediante justificativa. Em caso de descumprimento, o município irá promover e lançar cobrança pelo serviço e o mesmo será ajuizado.

 

Foto: Divulgação

Portais:

                                                         webmail